quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

domingo, 23 de novembro de 2014

Parto em terras distante / BRIGADA VICTOR JARA

Eu andava ainda por Coimbra. Cantadeira no Gefac, lembro que fomos, um dia, gravar com a Brigada Vitor Jara. Foi chegar, aprender, ensaiar e gravar!
Aventuras bonitas. Como sabe bem cantar!
Recordo que gravámos um "arriba a monte" cheio de pregões, arrufos de vozes femininas e muita alegria. Mas havia outro tema...
Procuro e encontro!
Aqui está, o "parto em terras distantes - 1ª versão" faz parte do disco "Novas vos trago" que contou com a participação de Brigada Victor Jara, João Afonso, Amélia Muge e Gaiteiros de Lisboa.
Que lindo que soa, tantos anos depois...

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

As 7 palavras mágicas

MUÉVETE
Mueve tu casa, tu cama, tu cuerpo.
Camina, sal por las montañas, sal de la rutina del trabajo, las relaciones y los patrones de vida. Cambia tu perspectiva. Acércate a aquellas personas con las que puedas ser auténtico y nutran tus sueños más locos. No necesitas mover montañas, trasladar una pequeña piedra puede hacer maravillas.

TOCA
Toca las partes que Amas de tu cuerpo.
Da abrazos en la panadería, en el parque, en las puertas de toda la ciudad. Besa a la gente en la mejilla. Acaricia a tu gato o tu perro un poco más. Saborea la sensación de un pañuelo de seda, de una pieza de madera, de las diferentes texturas. El musgo, las cortezas, las rocas y el agua. Mientras más lo hagas te sentirás más a gusto con el placer de tocar.

ESCUCHA
Siéntate en silencio y observa cuanto hay allí para ser escuchado.
Escucha a la gente, lo que realmente están diciendo. Escucha hasta la última nota de cada canción. Escucha tu voz interna, esa que solo escuchas cuando la confusión de cada día disminuye. Oye el susurro de las hojas, el llamado de las ranas, el crujido de la madera ardiendo en tu chimenea. Escucha con tu corazón y siempre escucha aquello que nunca es hablado.

SIENTE
El dolor, experimenta el gozo, hasta que sientas que vas a evaporarte. Permítete reír hasta que te duela, siente el amor desde lo más profundo de tu corazón. Ríndete a la sensualidad de la vida. Enójate y expresa tu furia, si es el caso, pero hazlo a solas. Si no sientes de verdad, no estás vivo.

CONFÍA
Tu sabes lo que necesitas saber. Detén tus dudas. Aquella cosquilla interna es tu más alta verdad y ella te servirá del mejor modo. Te arrepientes cuando desconoces o niegas tu intuición. Ten esto en cuenta: Finalmente, tú y sólo tú sabes lo que es mejor para ti. Si consumes, sin darte cuenta, todo tu día pintando, eso es lo que debes hacer. Si te encanta caminar al lado del océano, encuentra la forma de llegar allí. Si no confías completamente en ti, te conviertes en moho.

REÚNETE
Con los hombres y mujeres que Amas.
Toma el té acompañado, camina en compañía por el bosque, conversa y habla, lee en voz alta para otros.Celebra que tu cabello, tu piel, tu cuerpo y tus historias son diferentes a las de los otros y a su vez son completamente parecidas. Cocina y come en compañía.

RECIBE
Por una vez, deja de dar y dar y dar a todos menos a ti mismo.
Acepta los cumplidos con gracia. La voz que necesitas oír, el abrazo, ese momento para conversar, la comida en tu mesa, el dinero que necesitas, siempre serán suministrados. Ábrete a recibir, abre tus manos para que sean llenadas con abundancia. Recibe todas las cosas buenas que mereces y recuerda mostrar gratitud por tu vida.

(roubado de: http://barcelonalternativa.es)

sábado, 15 de novembro de 2014

Maria Galindo vs Evo Morales

Quando estive na Bolívia, aprendi, com tantos bolivianos e bolivianas, uma espécie de admiração pelo presidente Evo. Gostei de o ouvir falar, de o ver próximo do povo, do seu sorriso...
Na mesma altura, conheci o colectivo Mujeres Creando que também passei a admirar e seguir.

Hoje, recebo este extraordinário texto de Maria Galindo... e não posso deixar de sentir um enorme lamento pelas mulheres na Bolívia. Oxalá os dias mudem depressa para terminar com as vossas (que são também nossas) opressões.

Ainda ontem me recordei de vós, com vossos filhos, cargas e mundo carregados às costas de sorriso sempre em riste na cara. Valentes, como vos descrevi, em 2010.
Hoje recordo-vos valentes de novo, apesar das dores, e renasce com este texto a esperança de que o mundo melhore um pouco todos os dias!
Grata pelo contributo de Maria Galindo, nesta missão!



dreaming possible things


domingo, 9 de novembro de 2014

inundada de provérbios

Estou verdadeiramente surpeendida por me sentir invadida pelo sentido que tem, hoje, uma chuva de provérbios e expressões que, normalmente e antes, não me faziam sentido nenhum:
- dá deus nozes a quem não tem dentes
- estás a passar de cavalo para burro
- dás a mão e tomam-te logo o braço
- a ingratidão é a sombra do benefício

aiii

sábado, 8 de novembro de 2014

diálogos de saudades

A miniatura refastelada nos puffs coloridos e fofos da casa.
Olhamo-nos nos olhos, enquanto o ajudo a descalçar os sapatos:

eu - Sabes que eu tive muitas saudadinhas tuas?
miniatura - Eu também tive saudadinhas tuas.
eu - Eu tive saudadinhas assim como daqui à lua.
miniatura - E eu... (pensa) como daqui ao céu.
eu - aaah! isso é muito! Pois eu tive saudades tuas como... do céu ao fundo do mar.
miniatura - e eu do fundo do mar ao mundo inteiro.
eu - iiiih! caramba! sabes, é que eu tive saudades como isso tudo do fundo do mar ao mundo inteiro mas numa viagem de ida e volta (velho truque aprendido num livro) ...
miniatura - aaah! E eu mais!!!!
eu - (sorriso e silêncio) Pronto, nada a acrescentar! :-)

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Arna's Children

Fácil de ver não é.
Mas parece-me fundamental para compreender melhor algumas coisas que acontecem na Palestina e com o Freedom Theatre onde também a portuguesa Micaela Miranda trabalha, há anos.
Arna's Children é um filme de 2004 realizado por Juliano, filho de Arna, e que foi assassinado, em 2011. Há uma versão legendada em espanhol aqui, que nos marea un poquito pois as legendas estão sempre a mexer-se :-(

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Chaves para desmistificar o amor romântico :-)

En los cuentos que nos cuentan desde nuestra más tierna infancia, a los varones les enseñan tres cosas sobre el amor: 
  • Hay cosas más importantes en la vida que el amor romántico.
  • Hay una mujer destinada a ti.
  • El amor es inagotable e incondicional (como el amor de mamá).
A las mujeres nos enseñan otras tres cosas:
  • No hay nada en la vida más importante que el amor romántico.
  • Hay un hombre destinado a ti.
  • Las mujeres nacen con un don para amar inagotable e incondicionalmente (por eso su objetivo en la vida es ser esposa y mamá).
continuar a ler o artigo aqui

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Quando sinto que já sei

Mais uma acha para a fogueira...

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

burocracias com intimidade


Nem tudo vai bem quando, no final de uma troca de correspondência, escrevo a uma funcionária de um departamento do governo:

:-(
suspiro...

sábado, 11 de outubro de 2014

The What's Underneath Project: Jacky O'Shaughnessy

Definitivamente não é por se despir em frente a uma câmara,

esta mulher é realmente bonita.



quarta-feira, 8 de outubro de 2014

ACERCA DEL ÉBOLA, con JOSEP PAMIES

Eu acredito neste homem.
E não o faço apenas por esta pequena reportagem (hoje tão actual), mas por o ter já conhecido no extraordinário documentário La voz del Viento também já referido neste blogue.
É que me é impossível esquecer o livro (e filme) "O fiel jardineiro" onde, penso que por primeira vez, estas questões da indústria farmacêutica e seus testes em humanos em África me terem chocado tanto.
Que vontade de ir espalhar bombas de sementes por todo o mundo, caramba!
E  que vontade de passar a voz para que tenhamos todos e todas nos nossos quintais e casas, a partir de hoje e para sempre:
1 planta de Artemisia Annua
1 planta de Garcinia Kola
Dióxido de cloro
Água do mar
Prata Coloidal

Tudo isto são produtos gratuitos ou muito baratos e que jamais poderão ser patenteados.
Fica a dica.
Tudo isto é extraordinariamente eficaz (há milhares de anos comprovado) na luta contra malárias, gripes, cóleras, ébolas, sei lá que mais...
Escutemos o Josep Pamies. Ele fala tão claramente que é impossível não compreender o que nos está dizendo.

"Es que somos imbeciles como humanos. (...) El que quiere escuchar tiene oídos." (Josep Pamies)

sábado, 4 de outubro de 2014

Parabéns Macua!

12 anos ao meu lado. comigo.
que companheira maravilhosa!
Parabéns, Macua!
Fazes anos todos os dias, mas hoje completas uma dúzia redonda :-)

esta foto já tem alguns anos. 
vamos ver se coloco depois uma mais actualizada.


sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Biciclown

Que bonita aventura!!!!
Será que, quando eu deixar de fumar, o meu corpo me deixa fazer isto também?


"O amanhã é um mar profundo que há que cruzar a nado." Este verso do poeta Ángel González é o que Álvaro Neil (Oviedo, 1967) dá como resposta cada vez que alguém lhe pergunta o que vai fazer amanhã. Uma imagem quase literal (se mudarmos as braçadas pelas pedaladas) do que é a vida deste aventureiro do século XXI desde há quase dez anos, quando abandonou o seu trabalho como advogado, vendeu o seu carro e foi recorrer a América do Sul em bicicleta ao mesmo tempo que oferecia espectáculos gratuitos como palhaço.
(continuar a ler, em castelhano, aqui)
Para visitar a página do Álvaro Neil, pedalar até aqui.


sexta-feira, 26 de setembro de 2014

HeforShe


Faz-me muito sentido, este discurso.
Independentemente de qualquer coisa que possam dizer.
Porque eu também penso que a igualdade de género é, também, um assunto dos homens, não só das mulheres.




Discurso de Emma Watson en las Naciones Unidas - HeForShe - legendado em castelhano.

Mais sobre a campanha que apela à participação dos homens de todo o mundo aqui. E, no teu país, quantos homens já se juntaram?

terça-feira, 16 de setembro de 2014

workshop costura criativa - com Rocio Matosas

Tenho há tempos uma ideia sobre reutilização de roupa velha ;-)
não é reciclagem de tecidos, não é recriação de nada, não é design de moda...
é reutilização de roupa velha!
Hoje começou mais um pretexto para pôr em prática as ideias quase tão velhas como a roupa ;-)
cá ficam fotos do início do processo:

t-shirts como matéria prima

o primeiro desenho
selecção e montagem das cores



sexta-feira, 12 de setembro de 2014

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

tralhas ou tesouros?

Às vezes, zango-me com a costela progenitora que teima em acumular, acumular, acumular e não deitar nada para o lixo. Este Verão, passei alguns dias a tratar de aliviar o peso do passado que tinha ficado lá atrás acumulado em objectos que vão de roupa (alguma é histórica) a livros (alguns continuam preciosos), passando por pequenos tesouros dos quais não quero, para já, desligar-me.
Um deles é este triciclo. Voltei a apaixonar-me por ele.
É provável que tenha 40 anos, apesar de eu ainda não. É que também foi usado pela minha irmã, antes de mim. Em breve, terá vida nova :-)


Dá para imaginar que aprendi a pedalar com o cu sentado naquele banquinho vermelho?

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

um gato, por favor

Acho que estou a precisar de um gato no meu telhado, mas só no telhado...

Ir à escola

Ainda há dias, em conversa com ele, me recordava do dia em que vi crianças moçambicanas reclamarem porque o professor tinha faltado ao trabalho e elas ali, a quererem aprender.
Comentavamos das diferenças entre o ter e o não ter, do valor que damos ou não damos ao temos e ao que somos.

Não creio que tenhamos que deixar de ter para aprender a valorizar o que temos. Não creio que, no que diz respeito à escola, tenhamos que inventar para nós (a sociedade ocidentalizada em que vivo) novas crianças que valorizem o que têm. Creio isso sim que, definitivamente, a escola que temos não é a escola certa! Não digo a ideal, nem a melhor possível. Digo a escola certa. Não é. e tenho dito!

Quanto às crianças, há maravilhosos exemplares à minha volta. Uma minoria, certamente. E, por isso, não posso evitar ter uma ténue esperança sobre a possibilidade de o futuro vir a ser um pouco melhor do que o presente.
Precisamos de escolas certas na nossa sociedade, de sociedades certas como outras comunidades, e também de crianças heróicas como estas.


sábado, 30 de agosto de 2014

projectos a 4 mãos - pintura intergeracional

No dia em que a sua filha, de 4 anos, lhe disse:
“If you can’t share, we’ll have to take it away.”
tudo mudou na vida desta pintora.
Os resultados do trabalho que fazem juntas são muito interessantes e mais podem ser vistos aqui!

Uma ideia para reproduzir em oficinas de artes plásticas com artistas e não artistas, idos@s e crianças, mães e filh@s, intergeracionais e interprofissionais...


terça-feira, 19 de agosto de 2014

A revolução eminente

Sentada na esplanada, à porta de casa, olho à minha volta  e vejo como as mulheres ocuparam já o espaço público. Ao meu lado esquerdo, duas ansiãs acabam de jantar. Regaram a ceia com duas cervejas e têm mais de 70 anos, cada uma. As mulheres, claro. Tenho ao meu lado mais de 140 anos de vida :-)
À minha direita, uma mulher sozinha como eu, toma um sumo de laranja (desconheço se o está acompanhada ou não a laranja). tem os 40 anos já bem passados e confessa que hoje está cansada. Duas mesas à esquerda estão um rapaz e duas raparigas. Outras duas mesas para lá estão duas mulheres. Podem ser mãe e filha. A mais velha tem mais de 60 anos. Tem tomam cerveja. Todas e ele também.
A empregada de mesa trouxe-me o fino que lhe pedi e, oferta da casa, um pequeno pratinho de barro cheio de batata cozida, tomate, pimento e cebola crus, regados com muito azeite.
Lá dentro do café, atrás do balcão, está outra mulher. Na televisão, um jogo de futebol.
Tudo isto seria "tudo menos clássico" se eu estivesse num qualquer outro país. Aqui, em Espanha, parece tudo "do mais normal".
Eu, por meu lado, quero estar viva no dia em que as mulheres governem o mundo.
Quando passem da mesa do café à acção! E tudo se revolucione! E a vida seja bela.

shampoo e amaciador caseiros (um não vai sem o outro)

E, depois do desodorizante (que se seguiu a outras alquimias já testadas, aprovadíssimas e que passaram a fazer parte da casa e da vida diária),
...
aí vem o shampoo!!

Cansada da invasão química, por um lado, zangada com a espuma que não facilita a vida aos caracóis, por outro, chegou a vez de experimentar a receita caseira de shampoo.
Encontrei uma aqui que me parece muito sedutora e irei experimentar (tal como aconteceu com o desodorizante, assim que passei da pesquisa à acção deixei a minha opinião sob a forma de comentário ao próprio post):


Ingredientes


    1. 1 caneca de bicarbonato de sódio - maravilhoso bicarbonato de sódio!!!! 

    1. ½ caneca de vinagre de maçã - sou fã das maravilhas do vinagre na limpeza em geral e posso afirmar que não deixa cheiro algum depois de aplicado nessas funções ;-)

    1. ¼ caneca de azeite - que sorte ter nascido na iberia e que o maravilhoso líquido dourado faça parte da nossa vida desde que nascemos :-)

    1. 3 canecas de água filtrada - filtrada??? esta não sei como vou conseguir :-( experimentarei com água mineral ;-)

    1. 2 embalagens para guardar o shampoo e o amaciador - ATENÇÃO: não se deve dispensar o amaciador porque é vital para equilibrar o pH do bicarbonato.



    Opcional: podem-se adicionar algumas gotas de óleo essencial (lavandacamomila, etc.).
    Modo de fazer


    Mistura o bicarbonato com a água e o óleo essencial, caso vás usar algum. Esta é a mistura básica, pode ser considerada o shampoo e é responsável pela limpeza. Noutro recipiente, mistura o vinagre e o azeite, esta mistura será uma espécie de amaciador.

    Com os cabelos molhados, aplica a primeira mistura e massaja suavemente. Embora não faça espuma, limpa profundamente! Deixa que escorra por todo o comprimento do cabelo, mas não esfregues. Em seguida, enxagua usando o amaciador.

    Agita bem as embalagens antes de usar!

    sábado, 26 de julho de 2014

    Desodorizante Caseiro

    Não é um uso diário aquele que sinto necessário.
    De qualquer modo, nos últimos 4 anos usei um desodorizante sem alumínio na sua composição comprado na Body Shop. Apenas tinha comprado o roll-on na primeira vez e depois ia comprando recargas quando este acabava. Econónimo, ecológico e, ainda por cima, o menos maligno dos desodorizantes para a saúde. Qual o meu espanto quando, na semana passada, fui tentar comprar uma nova recarga e me informaram que:
    - A Body Shop já não tem esse desodorizante.
    - Ok, então qual é o que têm agora? - respondi disposta a mudar de desodorizante
    - Não temos nenhum sem alumínio.
    - Como?! $%##$%/ A Body Shop não tem um desodorizante sem alumínio????
    - ah, temos de homem...
    - Deixe-me ver e cheirar.

    Vi. Acho que tinha alumínio na sua composição. E o cheiro não agradou à minha narina...

    Há coisas que não entendo e esta é apenas uma delas.
    Consumismos à parte, há males que vêm por bem. Não procurei em nenhuma farmácia ou supermercado a solução para a minha suposta necessidade de verão.
    Procurei receitas caseiras. E, definitivamente, é isso mesmo que quero fazer!
    Encontrei esta receita que ainda não experimentei mas cuja opinião certamente partilharei assim que o faça.  De qualquer modo, o entusiasmo por mais uma utilíssima receita caseira já cá vive dentro de mim.

    RECEITA DE DESODORIZANTE CASEIRO: 
    6 colheres de sobremesa de óleo de coco biológico
    1/4 de chávena de bicabornato de sódio
    1/4 de chávena de amido de milho
    Numa tigela coloca-se o bicabornato de sódio e o amido de milho e mistura-se bem. Depois junta-se o óleo de côco e mexe-se bem para ficar homogéneo. De início parece que a mistura não liga por causa do óleo de côco, mas aos poucos a óleo começa a ficar mais mole e fica uma massa lisa e uniforme.

    Fiz uma pequena adaptação retirando da receita os oleos essenciais (opcionais) e que, para mim, são absolutamente dispensáveis. A receita pode ser consultada em: http://criacoescaseiras.blogspot.pt/2010/11/desodorizante-caseiro.html

    segunda-feira, 21 de julho de 2014

    sexta-feira, 18 de julho de 2014

    Nada tem mais força que uma ideia quando chegou a sua hora

    Acabo de ler uma entrevista empolgante, de um "pessimista esperançoso", como o próprio Monedero se define. E a entrevista termina com: como dizia Victor Hugo numa frase que repetia muito Marx, nada tem mais força que uma ideia quando chegou a sua hora.

    domingo, 18 de maio de 2014

    Lila - de Carlos Lascano

    Aqui deixo um tocante filme encontrado numa página onde também piscava uma frase assim:
    "Temos a Arte para não morrer da verdade" - Friedriech Nietzsche


    terça-feira, 6 de maio de 2014

    la voz del viento

    Hoje acabei de ver este filme.
    Demorei alguns dias a vê-lo, não porque fosse de difícil visionamento ou digestão. Demorei-me nele. Deleitei-me nele.
    Acontece que quis prolongar o prazer e, assim, senti durante mais dias a vontade da viagem e a crença num outro mundo que é, realmente, possível. 
    Esse mundo já existe, está a ser construido!
    Maravilhoso de ver! Ansiosa por ser parte!

    ver o filme completo aqui

    quinta-feira, 1 de maio de 2014

    30 coisas

    Não me apetece nada desfiar um rosário de listas aqui neste blogue e ainda há duas postagens atrás o fiz.
    No entanto, esta lista de 30 coisas que precisamos começar a fazer por nós mesmas, nem que seja só para deixar-se invadir pela força das fotografias, acho que vale mesmo a pena partilhar.
    Se o resto for útil também, tanto melhor!
    Bom dia da pessoa trabalhadora!


    domingo, 27 de abril de 2014

    Casas de banho ecológicas

    Tão simples, afinal. Porque não há mais?

    Como construir casas de banho ecológicas, também chamadas em espanhol "baño secos"
    aqui

    sexta-feira, 25 de abril de 2014

    As 13 qualidades das velhas sábias


    roubado daqui

    1. Elas não se queixam! Aceitam que o que foi, foi e não pode ser mudado e o que interessa é daqui para frente. Não quer dizer que não expressem dor, mas não se lamentam, não se veem nem agem como vítimas. 

    2. São atrevidas, tem coragem de experimentar o novo, a buscar o não vivido, o não conhecido. 

    3. “Tem mãos para as plantas”, concreta e metaforicamente. “Plantam, regam e acompanham o crescimento” de plantas, pessoas, projetos... 

    4. Confiam em seus pressentimentos/ em sua intuição, honram sua sabedoria interna.

    5. Meditam a sua maneira, cultivam um centro interno de silêncio e escuta, de prece e reconexão com o Sagrado. 

    6. Defendem com firmeza o que mais importa, descobrem sua voz e tendem a tornar-se mais rebeldes e radicais com tudo que consideram errado no mundo. 

    7. Decidem seu caminho com o coração, mesmo que esse caminho seja difícil.

    8. Dizem a verdade com compaixão, mas dizem sempre a verdade, porque sabem que só a verdade cura e liberta. 

    9. Escutam seu corpo, não o veem como um objeto a ser aperfeiçoado, mas como um instrumento de prazer e auto conhecimento. 

    10. Improvisam, agem com espontaneidade, fluem com a vida. 

    11. Não imploram, não fazem NADA com a finalidade de serem aceitas. 

    12. Riem juntas, riem de si e com isso nutrem um profundo senso de irmandade, porque é um riso que expressa o triunfo do espírito e da alma sobre aquilo que poderia tê-las destruído ou as convertido em mulheres amargas . 

    13. Saboreiam o positivo da vida, sabem ter gratidão pela beleza da vida, mesmo que mesclada de sofrimentos.

    sexta-feira, 18 de abril de 2014

    quinta-feira, 17 de abril de 2014

    cortar a relva até ao fim do mundo

    Cada vez que agarro o cortador de relva e transformo o jardim num lindo verde mar-chão, lembro-me de três coisas. Lembro-me:
    1) do filme "uma história simples" de David Lynch, onde um homem sentado no seu pequeno trator (cortador de relva?) faz centenas de quilómetros para visitar o seu irmão;
    2) que a independência é também um pouco isto;
    3) que eu quero continuar a aprender coisas novas até ao fim dos meus dias.

    Hoje, o jardim ficou lindo, a chuva parou e o fim da tarde acalmou! Eu poderia ter agarrado o cortador de relva e seguido viagem até ao fim do mundo. O caminho estava livre :-)


    sábado, 5 de abril de 2014

    ser criativa

    Parece que tenho que conformar-me com os factos da minha realidade.
    Confesso que fiquei surpreendida por parecer que os conheço bem todos, os 18 pontos desta lista...
    ai, que suspiro!
    http://www.huffingtonpost.es/2014/03/07/18-cosas-que-las-personas_n_4918760.html

    terça-feira, 1 de abril de 2014

    a kombi e o nomadismo

    Um amigo partilha uma foto da carrinha mais bonita do mundo (também dos meus sonhos) e diz que apanhou uma boleia nela de um tal Gastón, artista de Circo com o seu espectáculo Cachivache :-)
    Sorrio.
    Procuro e encontro o artista argentino, nómada, cachiveteando no Uruguai.
    Coisas lindas!


    quinta-feira, 13 de março de 2014

    deixarei de me vender

    depois de anos a caminhar para que, cobrar pelo meu trabalho fosse entendido como algo justo e natural, começou a passar-me pela cabeça, há uns tempos, que o quero simplesmente oferecer a troco de receber o que quiserem dar-me.
    é talvez um acto de fé na humanidade, nos valores, nas relações.

    Tu pões o preço ao que recebes. Eu não me vendo. - penso

    Hoje, ao encontrar-me com esta TED conferência pela Amanda Palmer, tudo continua a fazer ainda mais sentido.



    domingo, 23 de fevereiro de 2014

    Economia alternativa - moeda social

    Não é um regresso à troca directa.
    É, melhor, um sistema alternativo ao actual sistema económico capitalista em que vivemos que se inspira na troca, na valorização justa dos produtos ou serviços e, por isso, entre outras coisas, na não cobrança de juros.
    Há uns anos, ouvi falar do Mercado Social já tão bem implantado no Brasil.
    Agora, apercebo-me que, em Espanha, há ceca de 70 moedas alternativas ao euro, às vezes complementares, que estão a fazer da experimentação um verdadeiro saber fundamental para o futuro.

    Um dos homens mais importantes deste movimento é Julio Gisbert Quero, autor do livro "Vivir sin empleo" e do blog com o mesmo nome.
    Navegando por aqui e por ali, tentando espreitar no mais próximo que há de mim, encontrei um documentário que vale muito a pena ver.

    São lufadas de utopia que se vão experimentando um pouco por todas as partes.
    Em Portugal, a AJPaz, em Granja do Ulmeiro, desenvolve(u) também projectos de Mercado Social com o recurso à Granja como moeda.
    E, depois, uma ideia poética como tanto me agradam! The social coin já chegou a todo o planeta, já plantou mais de 4 mil árvores com a simples ideia de que as acções desinteressadas podem mudar o mundo.
    Enfim e em resumo, começo a sentir a urgência da mudança.
    E, ou me mudo para uma comunidade onde algo disto esteja a funcionar, ou então tem rapidamente que aparecer aqui, pertinho de mim ;-)

    quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

    sacerdotisa bautizadora

    Quando me convidou para eu batizar outros peixes da sua colecção, confessei que ainda tenho uma cabrinha para batizar...
    Respondeu-me a minha hermanita da Bolívia, Alejandra, que eu provavelmente sou uma sacerdotiza bautizadora de animales emocionales. 
    Quem sabe?
    Eis o primeiro batizado:

    Lucitus (pintura de Alejandra Alarcón)
    alimenta-se de saudade

    quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

    El barro, las manos, la casa


    Diz o construtor Jorge Belanko, protagonista deste filme: "toda la gente debria construir su casa".
    Penso nas pessoas à minha volta e não conheço muitas que o tenham feito.
    Na minha família, que eu saiba, apenas o meu avô paterno o fez. Construiu a casa que tem hoje mais de 100 anos e ainda está de pé e de saúde. Construiu-a de adobe, pois claro!
    (Na verdade, também o meu avô materno construiu, com muitos outros, o edifício onde viria a estar também a sua própria casa).
    Imagino feliz quem consegue fazer a sua própria casa. E se o faz com as mãos, mais importante deve ser.
    A minha mãe diz que: morre o passarinho quando se acaba o ninho, por isso acho fundamental estar sempre a arranjar o ninho, para ir morrendo mais devagar.
    As casas deste filme são como as do maravilhoso hornero, aquele pássaro que eu tanto aprecio no Uruguai e como a dos meus amigos Fiorela e Damián à qual eu chamo casa de duendes.

    Não sei se alguma vez construirei uma casa a que chame minha. Gosto das casas com rodas ou com asas. De qualquer forma, é uma aprendizagem que se me apresenta muito estimulante, a que é tão bem ensinada neste documentário: El barro, las manos, la casa! para ver online :-)

    quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

    Leite de Aveia - caseiro

    100 gr de flocos de aveia
    1l de água

    Ferver a água e adicionar os flocos de aveia. Deixar repousar cerca de 10 mn. Colocar a mistura no liquidificador. Moer.
    Coar a mistura por um filtro de pano, espremendo o pano para aproveitar todo o líquido.
    A massa de aveia pode ser usada para engrossar hamburgueres, bolos, tortas e deliciosas panquecas ou ainda para fazer uma máscara para a pele do rosto.

    Recordo que o leite de aveia é muito nutritivo, uma excelente opção para vegan@s ou para quem tem intolerância ao leite de vaca ou ao leite de soja. É super-rápido de fazer e dura 3 a 4 dias no frigorífico.
    É um leite que engrossa bastante, por isso, cuidado na altura de o aquecer muito :-)
    Sabemos também que a aveia é provavelmente dos alimentos mais completos para as necessidades humanas.
    Imaginamos que, não fosse a monotonia da dieta, uma pessoa que se alimente exclusivamente de aveia terá uma alimentação equilibrada e saudável.

    o mundo tem urgência de pessoas que amam o que fazem

    Há muito que digo que sou privilegiada: Faço o que gosto e vivo disso!
    É verdade que ainda não é da forma que desejo. É verdade que ainda não pus totalmente as mãos na massa e que, cada vez mais, o desafio é atraente e intrigante. Cada vez mais urge fazê-lo em plenitude e liberdade total.
    E não estou sozinha.
    Não, não somos só 4 privilegiad@s - respondi a A. quando me dizia que pensava precisamente isso.

    Li, há tempos, que o mundo tem urgência de pessoas que amam o que fazem.
    Bem sei, eu própria também tenho urgência de mais pessoas que amem o que fazem, à minha volta, na minha vida.
    Aqui ficam 11 histórias simples e inspiradoras. Há tantas, tantas mais!!!
    Respiro um pouco mais aliviada cada vez que me encontro com gente assim.


    domingo, 9 de fevereiro de 2014

    vivir mejor

    "Vivir mejor, no tiene que ver con tener más, sino con ser más feliz"
    Pepe Mujica (presidente da República do Uruguay)

    quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

    El retorno de los nómades

    Las alas de los nómades se arrugan, 
    se despluman y se destiñen con algunas
    desgracias pero siempre recuperan 
    sus lucimientos. Son siempre como
    alas recién estrenadas porque tienen
    millones de asombros desplegados yendo
    y viniendo a las eternidades.
    Las alas son invisibles salvo en situaciones
    extraordinarias.
    Los pies de los nómades son tan bellos
    como sus alas.
    Las plantas de sus pies tiene huellas
    de caminos.

    in "El retorno de los nómades" Lía Schenck

    Obrigada Rocío, por esta partilha! :-)

    segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

    sabão líquido para máquina de lavar roupa

    Pois é, neste blogue há de tudo um pouco, mesmo! E há o risco de poder passar a haver mais ainda.
    Como vi ontem num blog de um rapaz, aqui estou eu, esta sou eu. Quem gostar gosta. Pode comentar. Quem não gostar, pode nunca mais voltar! Tranquilo!

    Hoje, coloco uma receita de sabão líquido para máquina de lavar roupa.
    Porquê?
    Porque é ecológico, económico e eu adoro tachos, panelas e misturas químicas ;-)
    vai daí que, pus mãos à obra e o mais impressionante é que o dito cujo sabão se derrete em pouco mais de 5 minutos e depois é só mais um bocadinho junto com a água no balde.
    Enfim, demora muito menos do que ir ao supermercado.
    Então, recapitulando: mais económico, mais ecológico e demora muito pouco tempo para ficar pronto!
    Ora...
    há dúvidas? Não!
    Fica para amanhã a primeira experiência de lavar roupa na máquina com o meu novo sabão.

    E aqui fica a receita:
    400 gr de sabão azul
    120 gr de borato de sódio
    120 gr de carbonato de sódio
    8 litros de água

    Cortar o sabão em pedaços e derreter em 1,5l de água.
    Depois, juntar o borato de sódio e o carbonato de sódio. (ATENÇAO, não sei quais as consequências de usar outras substâncias que não estas!!!! Encontrei tudo numa drogaria comum. O borato de sódio há, inclusive, à venda em farmácias.)
    Juntar esta mistura à restante água quente. Ir mexendo de vez em quando porque a mistura vai engrossando enquanto arrefece.
    E está pronto a guardar e usar!
    Para uma máquina de roupa, usa-se aproximadamente 60 ml (mais ou menos 1/4 de chávena) do nosso sabão líquido.

    domingo, 2 de fevereiro de 2014

    Métodos inusuales para cambiar el mundo

    um manifesto de Sérgio Sala para ler aqui.

    Vamos! Startup! Liberdade! :-)

    Começar de novo
    e contar comigo
    vai valer a pena
    ter amanhecido!
    ...
    é assim que começa a letra de uma canção do Ivan Lins que conheço melhor cantada pelo Chico Buarque e cuja melodia recordo frequentemente.
    Quererá isto dizer que começo de novo, muitas vezes?
    Talvez. E ainda bem!

    Em Dezembro, entrei na Bertrand, passeei um pouco, olhando para os livros sem procurar nada. A determinada altura, vi um livro com uma capa e um título que me chamaram muito a atenção. Como tinha tempo, sentei-me a ler. Li as primeiras 36 páginas até que recebi uma mensagem que me fazia ter que sair dali. Olhei o preço e decidi comprá-lo. Devorei-o em poucos dias, registando dezenas de ideias de negócio e de rumos de vida, para começar de novo.
    Já o aconselhei a muitas pessoas.
    Já o procurei na internet para recomendar a outra tanta gente, como se de repente eu estivesse muito rodeada de gente que quer mudar algo na sua vida e a quem acho que um livro como este pode ser tão inspirador como foi comigo.
    O difícil mesmo é pôr as mãos à obra!

    O livro?
    The $100 startups, de Chris Guillebeau.
    Ler algo aqui e aqui. O site do livro aqui e o site do moço aqui.

    Outras pesquisas têm-me feito percorrer caminhos também muito interessantes.
    Estou a começar a desenhar o meu futuro. E gosto!
    Neste momento, ando a acompanhar isto: http://www.dueno-de-mi-tiempo.com/
    e, por isso, encontrei-me com outras boas inspirações como: http://viviralmaximo.net/ e http://seleyenda.com/.


    quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

    Andres Amador

    Hoje ia colocar aqui um pensamento longo sobre o tempo e a falta dele. É um chorrilho de palavras que está ainda nos meus rascunhos e há-de ver a luz noutro momento.
    De outra forma, encontrei uma linda forma de passar o tempo, criando arte efémera.
    O artista chama-se Andres Amador e faz coisas destas:

    ver mais aqui e aqui e por toda a web


    segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

    as couves cozidas (*) querem-se verdinhas!

    Eu não sei se vou ter internet, quando for velhinha.
    Não sei se, caso tenha, a irei usar.
    Não sei, sequer, se chego a velhinha.
    Pelo sim pelo não, não vá o diabo da falta de memória atacar-me desprevenida, aqui deixo o registo:
    Eu gosto de couves.
    as minhas couves cozidas ficam sempre verdinhas!!! 
    (atenção: não ficam amarelas, nem castanhas, nem cor-de-burro-quando-foge)


    Consigo essa proeza culinária graças ao conselho do meu pai, em jeito de ordem:
    - Essas couves querem-se sempre dentro de água!
    A minha mãe, pelo sim pelo não, e porque normalmente está a fazer 10 coisas ao mesmo tempo e não pode estar ali ao alto só com as couves, junta-lhe também uma colherzinha de café de bicarbonato de sódio.
    Eu não chego a precisar disso. Com o estar ao alto com o tacho e de colher de pau em riste, mergulhando delicadamente as couves, eu consigo que elas fiquem cozidas com uma apetitosa e única cor verde-escura.
    No outro dia, as minhas couves até foram elogiadas pela mãe da Fatinha, uma ansiã terna e extraordinária doceira e, aí, eu percebi, mais uma vez, a importância de alguns conselhos do meu pai.


    (*) cozidas escreve-se com z porque o processo de que estamos a falar tem a ver com cozinha, que também se escreve com z. Se estivessemos a falar de cosidas com s... era porque estavamos a falar de algo que tinha a ver com agulhas, linhas e... costura. Também hei-de falar de costura noutras publicações. ;-)

    sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

    bisavós, as tais pessoas que são avós duas vezes :-)

    aqui e aqui falei da avó Zefa e do avô Olegário. 
    Mas, hoje, fotografei as fotos que tenho com um e com outra. 
    A primeira foto - eu tinha 5 anos - foi tirada na Portagem, provavelmente num domingo de passeio nas redondezas de Castelo de Vide. 
    Na segunda, aquela em que estou a dar de mamar, com um biberon, a uma cabrinha e onde o meu bisavô sorri debaixo do chapéu que ainda hoje eu guardo... não sei que idade terei. 
    A sensação que tenho destas fotos é que o tempo não existe! Para ninguém!



    quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

    a minha cabrinha d'O Lugar do Monte

    Eu tinha apenas dois euros para gastar. E gastei!
    Apoiei o projecto d'O Lugar do Monte, na plataforma PPL e ganhei a possibilidade de dar nome a uma cabrinha...
    que ainda por cima, é linda!!!!
    A Luna já está inquieta para ir lá batizar as cabrinhas todas do Monte e arredores! :0)
    Mas primeiro, vamos ter que decidir que nome terá esta minha cabrinha que vive no Lugar do Monte :-)
    Que nome terá?


    foto enviada por Mariana Santos

    quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

    a felicidade...

    a pensar nisto, a trabalhar para a felicidade, todos os dias, um bocadinho!
    http://agorasim.blog.br/?p=2080

    I exist


    E, para conhecer o projecto POR CADA MINA UNA FLOR, 
    do artista activista Mohamed Moulud Yeslem, ver este vídeo:


    eu já vou começar a fazer flores!


    terça-feira, 21 de janeiro de 2014

    Porque as pessoas gritam quando estão aborrecidas?

    Um dia, um pensador indiano fez a seguinte pergunta a seus discípulos:
    - Por que as pessoas gritam quando estão aborrecidas?
    - Gritamos porque perdemos a calma - disse um deles.
    - Mas, por que gritar quando a outra pessoa está ao seu lado? – questionou novamente o pensador.
    - Bem, gritamos porque desejamos que a outra pessoa nos ouça - retrucou outro discípulo.
    E o mestre volta a perguntar:
    - Então não é possível falar-lhe em voz baixa?
    Várias outras respostas surgiram, mas nenhuma convenceu o pensador. Então ele esclareceu:
    (...)
    continuar a ler aqui
    Obrigada, João Branco, pela partilha!

    segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

    No te enamores de una mujer que viaje y/o escriba

    Es necesario e imperante que atiendas a mi llamado, no está bien que te enamores o enredes tu vida con una mujer que ame leer, escribir, viajar o cantar (así lo haga mal), porque al final todas ellas aman, aman con esa libertad que brota en su alma y las hace creer que tú estás en capacidad de corresponder con sinceridad a ese torrente de emociones.


    Si te digo esto no es por asustarte, pero sí a modo de advertencia, porque una chica que escribe y además viaja es propensa a querer sin medida de tiempo o espacio, ella irá tras de ti si se lo pides con un simple “te extraño y te necesito a mi lado”, puede estremecer su mundo entero dedicándole un “te quiero” en un pequeño correo electrónico, con eso alcanza para hacerla sonreír todo el día, ella se imaginará el día en que por fin te pueda abrazar y besar de nuevo en caso de estar lejos, así sea a dos o tres horas de distancia, entonces la harás escribir montañas de palabras que no se atreve a decirte cuando hablan a solas.
    No te enamores de una mujer que adore viajar, porque querrás que...

    ler o texto completo aqui
    neste inspirador blog a cuja autora felicito!

    domingo, 19 de janeiro de 2014

    SOZINH@ com Caetano...

    ...para seguir a vida numa noite assim!
    http://grooveshark.com/#!/caetano_veloso

    sábado, 18 de janeiro de 2014

    constelações familiares

    Participei hoje num workshop de constelações familiares com a formadora argentina Guadalupe Marquis de la Aldea.
    Apesar de já ter tido alguma vez algum contacto com esta metodologia, foi especialmente esclarecedor e enriquecedor.

    Sinto-me grata pelo que recebi e pelo que dei, pelo equilíbrio. 
    E sinto-me especialmente grata por me terem permitido ser avó, bisavó, mãe, pai, filha e vida!


    Um bem-hajas, Guadalupe e 180 Terapias Açores!

    (Noutro post espero escrever um pouco mais sobre isto).

    sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

    o corpo da mulher

    Há autores de que não gosto. Preconceito ou não, não gosto. Ponto.
    Ainda assim, não deixo de os ler quando me caem, sem eu querer, na sopa. Quando mos servem num texto com um título que espicaça a curiosidade e de quem desconheço a autoria (apenas por não saltar de imediato para o final, onde poderia rapidamente descobrir e decidir parar com a leitura).

    Hoje, surpreendeu-me ler isto acerca do corpo da mulher:
    Algumas linhas no rosto, algumas cicatrizes no ventre, algumas marcas de estrias não lhes tira a beleza. São feridas de guerra, testemunhas de que fizeram algo em suas vidas, não tiveram anos ‘em formol’ nem em spa… viveram! 

    E surpreendeu porque é exactamente isso que penso acerca das minhas estrias, das minhas curvas, das minhas gordurinhas que não conhecem ginásio nem spa! É exactamente isso que eu penso acerca do prazer que é cozinhar e comer e sorrir e estar viva!
    Quando tudo isto é acompanhado de quem gosta de nós exactamente como somos, cada dia pode ser uma vibrante massagem ao coração! E isso vale muito a pena! E, por isso, até sou capaz de sorrir ao ler, de vez em quando, muito de vez em quando e apenas porque me cai na sopa, Paulo Coelho.

    Bailamos?

    Bailamos?

    quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

    pornografia vs erotismo




    (...) "Alguns grupos feministas passaram a considerar pornográfico todo o material erótico que levasse à degradação da condição das mulheres.
    Acredita-se que o único sentido da pornografia é a estimulação sexual e que está completamente desprovida de qualquer intenção artística ou científica. Ou seja, pretende apenas reproduzir explicitamente o sexo de forma concreta e hiper-realista.
    Por outro lado, o erotismo é encarado como a procura do prazer pelo belo; sai dos limites da sexualidade centrada nos órgãos genitais e confere a essa sexualidade uma noção mais subjectiva. Inclui todas as emoções e tensões que poderão surgir vindos de canais aparentemente estranhos à esfera sexual como, por exemplo, um livro, um som, uma obra de arte...Mais “pura e dura”, a pornografia é algo que estabelece limites, pois mostra o concreto. O erótico tende a estimular a curiosidade e o interesse ao mostrar apenas parte, deixando o resto à imaginação.

    (...) É frequente que constatemos que o que hoje é consensualmente visto como erótico foi catalogado como pornográfico num passado às vezes (bem) recente; como evoluirão os valores sociais que suportam estes conceitos? 
    Muitas vezes, a diferença entre pornográfico e erótico está nos olhos de quem vê. Já Freud afirmava que "às vezes um charuto é só um charuto"." (in Texto Editora)

    ler mais aqui e aqui e obviamente aqui
    e ver aqui lindas fotos eróticas do início do séc.XX

    quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

    Hold on

    "Aguenta, aguenta, aguenta" - repito-me
    e a coisa vai.


    La economía es una ciencia - Juan Gelman

    En el decenio que siguió a la crisis
    se notó la declinación del coeficiente de ternura
    en todos los países considerados
    o sea
    tu país
    mí país
    los países que crecían entre tu alma y mi alma de repente
    duraban un instante y antes de irse
    o desaparecer
    dejaban caer sábanas llenas de nuestros sexos que salían volando alrededor como perdices
    quiere decir que cada vez que hicimos el amor dejábamos nuestros sexos allí?
    y ellos seguían vivitos y coleando como perdices suavísimas?
    qué raro
    mirá que lavábamos las sábanas con subordinación y valor
    para que los jugos de la noche pasada no inauguraran el pasado
    y ningún pasado pusiera una oficina entre nosotros para ordenarnos el hoy
    porque el alma amorosa es desordenada y perfecta
    tiene mucha limpieza y lindura
    se necesita todo un Dios para encerrarla
    como le pasó a don francisco
    que así pudo cruzar la agua fría de la muerte
    es bien raro eso de nuestros sexos volando
    pero recuerdo ahora que cada vez que yo entraba en tu sexo
    y me bañaban tus espumas purísimas con impaciencia
    y dulzura y valor
    me parecía oir un pajarerío en el bosque de vos
    como amor encendiendo otro amor
    o más, es cierto que cada vez nuestros sexos resucitaban
    y se ponían a dar vueltas entre ellos
    como maripositas encandiladas por el fuego
    y se querían morir de nuevo buscando incesantemente la libertad
    y había un país entre la vida y la muerte
    donde todo era consolación y hermosura
    y no poseíamos nuestro corazón
    y nuestros sexos se perdían como almas en la noche
    y nunca más los volvíamos a ver
    para entender
    estudio los índices de la tasa de inversióún bruta
    los índices de la productividad marginal de las inversiones
    los índices de crecimiento del producto amoroso
    otros índices que es aburrido hablar aquí
    y no entiendo nada
    la economía es bien curiosa
    al pequeño ahorrista del alma lo engañan en wall street
    los sueldos de la ternura son bajos
    subsiste la injusticia en el mercado mundial del amor
    el aprendiz está rodeado de nubes que parecen elefantes
    eso no le da dicha ni desdicha
    en medio de las razones
    las redenciones
    las resurrecciones
    se lleva el alma a la nariz para sentir tus perjúmenes
    estoy viendo volar los pajaritos que te salían del sexo
    mejor dicho
    de más allá todavía
    de todo lo que valías
    o brillabas
    o eras
    y dabas como jugos de la noche.